Automação Industrial

4dez

 

A eficiência geral ou global de máquinas e equipamentos (“Overall Equipament Effectivences”), ou comumente conhecido com OEE, é uma das ferramentas da qualidade desenvolvidas no Japão, mais precisamente sua criação está atribuída ao JAPAN INSTITUTE OF PLANT MAINTENANCE – JIPM (Instituto Japonês de Manutenção de Planta) onde sua criação deve-se ao cidadão japonês Seiichi Nakajima, pioneiro no desenvolvimento da “TPM”, sigla do sistema de manutenção produtiva total instituída no ano de 1971.

 

Por estar diretamente ligado a “TPM”, está por sua vez possui como pilares estruturais a falha zero e quebra zero das máquinas e equipamentos, indo de encontro a busca constante do defeito zero nos produtos aliada a perda zero nos processos, em virtude da adoção do OEE como indicador de qualidade, o mesmo tem por objetivo qualificar não apenas o desempenho das máquinas e equipamentos, mas a avaliação e melhoria contínua dos “Processos Produtivos”.

 

Como um excelente indicador e avaliador de parâmetros o OEE também está ligado de forma eficaz a um termo que talvez muitas pessoas desconheçam, o chamado “Lean Manufacturing” ou manufatura enxuta. A expansão da manufatura enxuta provocou a adoção do OEE em larga escala em muitas empresas com a filosofia do acompanhamento da produção industrial, pelo simples fato de proporcionar de forma simples e visualmente direta através de gráficos o quão uma máquina foi utilizada ou quantos itens bons foram produzidos ou até mesmo a capacidade produtiva entre equipamentos com a mesma finalidade, mas de fabricantes diferentes.

 

Esta importante ferramenta coleta várias informações de processo e as converte de forma simples e visual em dados estatísticos o desempenho industrial com o intuito de ajudar o GESTOR a enxergar principalmente perdas por qualidade, utilização, performance. Avançando ao longo do século XX para o século XXI o crescimento tecnológico, houve uma série de transições, nesta conjuntura não podemos deixar de analisar a incorporação cada vez maior de robôs industriais nos mais diferentes processos produtivos, unindo em uma estrutura robusta conhecimento técnico, análise de informações e tomada de decisão, TPM e OEE para avaliação também da tecnologia proporcionada pela robótica.

 

Seja o OEE uma importante ferramenta para robótica ou para a indústria de manufatura, a base é a mesma, gerar informações confiáveis de processos contínuos e principalmente automáticos em tempo real por meio de Engenharia de Automação e Controle, focada principalmente no modo de operação automático, uma vez que o modo de operação manual de muitos processos deixa a desejar pela precisão. O divisor de águas está no fato da Automação Industrial através do OEE moldar as informações conforme a necessidade do cliente, disponibiliza-las para análise instantaneamente, controlar os desvios em tempo real e tornar a tomada de decisão por meio das informações “ACERTIVA”.

Compartilhe

FacebookLinkedIn