Automação Industrial

17jan

O MAPA, (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) é uma sigla carregada de respeito e muita história, sua origem se dá ainda nos tempos do Império no Brasil, quando então criado pelo imperador Dom Pedro II, em 28 de julho de 1860 pelo decreto n° 1.067, ainda como status de Secretaria de Estado dos Negócios da Agricultura, Comércio e Obras Públicas.

 

Em 1892, com a proclamação da República e a secretaria transformada em Ministério da Indústria, Viação e Obras Públicas, todos os assuntos de agricultura passaram e ser geridos por diretoria desta pasta. Em 1909 as atividades foram incorporadas ao, então criado, Ministério da Agricultura, Indústria e Comércio.

 

O MAPA possui uma enorme responsabilidade com a nação, suas principais atribuições são a gestão de políticas públicas de estímulo à pecuária, fomento do agronegócio, regulamentação e normatização de serviços vinculados ao setor produtivo e integração do desenvolvimento sustentável e da competitividade, visando a garantia da segurança alimentar da população e a produção de excedentes para exportação.

 

Também intitulado por muitos dirigentes de renomadas entidades ligadas ao Agronegócio como “O CELEIRO DO MUNDO”, para tal atribuição, sob a gestão do MAPA encontram-se aspectos mercadológicos, tecnológicos, científico, ambiental e organizacional do setor produtivo e também dos setores de abastecimento, armazenagem e transporte de produtos das safras agrícolas, além da gestão da política econômica e financeira do agro.

 

No Brasil, o agronegócio contempla o pequeno, o médio e o grande produtor rural abrangendo todas as cadeias produtivas reunindo inclusive atividades de fornecimento de bens e serviços à agricultura, produção agropecuária, processamento, transformação e distribuição de inúmeros produtos até a mesa do consumidor final por meio de instituições públicas como a Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) e privadas. As principais sociedades de economia mista com grande reflexo em conjunto com o MAPA são a Casemg (Companhia de Armazéns e Silos de Minas Gerais), Ceasa/MG (Centrais de Abastecimento de Minas Gerais S.A) e a CEAGESP (Companhia de Entreposto e Armazéns Gerais de São Paulo).

 

Vários itens discutidos acima remetem a uma conjuntura quase que exclusivamente única, unir gestão de transporte e abastecimento, controle de origem de matérias primas, sistemas de dosagem de precisão, segurança alimentar, eficiência energética e sustentabilidade, ciência e tecnologia entre vários outros atributos ligados principalmente a área de softwares de Automação e Controle Industrial de Processos.

 

Tais atribuições presam pela cadeia produtiva, imagine relatórios de processo de dosagens de produtos controlados por apenas algumas gramas sendo dosados em formulações de rações, processamento e mistura de fertilizantes líquidos e defensivos, processos envolvendo fertirrigação e sitemas hodropônicos, mas que por meio de relatórios aprovados por órgãos como o MAPA proporcionem segurança alimentar, o futuro é agora, e mais uma vez a tecnologia por meio da Automação Industrial está na vanguarda deste e tantos outros processos produtivos através da gestão moderna de dosasgens, disponibilizando informações instantâneas de variáveis de processos, garantido integridade com responsabilidade.

Compartilhe

FacebookLinkedIn