Automação Industrial

7ago

No contexto histórico, para chegarmos a evolução dos sistemas de supervisão inicialmente necessitamos associar um elemento fundamental para a formação desse conjunto, que no caso são os “sistemas de automação”, a automação por si só envolvendo máquinas e processos simples sem os sistemas de supervisão existe naturalmente, é muito comum e funciona de maneira perfeita, mas juntamente com os sistemas de supervisão promovem confiabilidade qualidade e segurança para as empresas que empregam tal tecnologia, desta forma ambos se complementam formando uma robusta estrutura.

 

É da natureza e curiosidade humana inovar e evoluir, o trabalho que até então era realizado de forma manual passou a ser realizado por máquinas na era de “Revolução Industrial”, funções de controle eram realizadas somente por dispositivos mecânicos que automatizavam algumas tarefas repetitivas. Logo surgiram os relés e contatores empregados principalmente nas linhas de montagem, após a segunda guerra mundial surgem as primeiras referências de instrumentação analógica, os primeiros circuitos integrados “CI’s” e os processadores, que são a base para a criação do computador.

 

Por volta de 1970 são apresentados os primeiros computadores comerciais, eles são a estrutura para a implantação dos primeiros sistemas de supervisão, mas tudo ocorreu de forma gradativa, visto que as indústrias cada vez mais necessitavam controlar e monitorar com exatidão e eficiência as informações produzidas por sensores e atuadores, foi através da FUNÇÃO DE CONTROLE, FUNÇÃO DE OPERAÇÃO e FUNCÃO DE SUPERVISÃO que se objetivou maior qualidade, produtividade e competitividade industrial.

 

A evolução do sistema de supervisão tem como base o desempenho e modularidade em uma planta industrial, tal sistema permite que sejam monitoradas e rastreadas informações de processo produtivo, tais informações são coletadas através da aquisição de dados por sensores e atuadores, essas informações são manipuladas, analisadas, armazenadas e disponibilizadas ao usuário que está frente a um computador monitorando todo o processo por um sistema conhecido como SCADA – (Supervisory Control And Data Aquisition) ou “Sistema de Supervisão e Aquisição de Dados”.

 

Um dos principais objetivos de um sistema SCADA que é um sistema de supervisão é proporcionar uma interface amigável e de alto nível a qual o operador que está diante da tela de computador possa acompanhar em “tempo real” tudo o que está sendo monitorado, em geral são monitorados máquinas, reservatórios, rotas de transporte de produtos etc. A evolução dos sistemas de supervisão está presente em indústrias de alimentos, papel e celulose, óleo e gás, geração e cogeração de energia, metalurgia, indústrias químicas, fertilizantes e defensivos entre outras.

 

Os sistemas SCADA modernos utilizam tecnologias de redes industriais, capturam informações em escala digital, permitem a racionalização da utilização de recursos energéticos, proporcionam incremento de eficiência e segurança operacional corporativa, controle de alarmes e estações de controle central e remota, mas, para tudo estar em perfeito equilíbrio e harmonia é necessário um novo e ao mesmo tempo conhecido elemento de ligação, cujo papel fundamental em sua importância é formar o elo de união na evolução dos sistemas de supervisão, tal atribuição é proporcionada somente pela Engenharia de Controle e Automação com suas intervenções no monitoramento dos processos industriais.

Compartilhe

FacebookLinkedIn